Melbourne III – 30/Jan

No nosso último dia em Melbourne, reservamos para ver as coisas que ainda não tínhamos visto (centro de melbourne e chapel street). A primeira coisa foi irmos até uma rua de outlet, que acabou sendo uma pequena decepção. Tomamos café por lá mesmo e eu decidi cortar meu cabelo. Pois é, nada a ver.

Destruindo meu cabelo




Entrei em um salãozinho mequetrefe com uma japonesa chata, que sem perguntar nada mandou eu sentar e começou a me dar bronca. Ela meteu a máquina e acabou com quase todo o meu cabelo. Se ficou bom ou não, hoje estou andando só de boné. Eu fiquei desesperado e a estragada que ela deu no meu cabelo me fez ficar pra baixo durante toda a manhã. Mas bola pra frente!


Fresh Raspberry


Saímos da rua de outlet (que não tinha muita coisa) e fomos para o south warf (continuação sul do rio yarra – no primeiro dia fomos para o norte). Entramos em um shoppingzinho com outlets (aí sim valeu a pena), comprei um tenis pois o meu antigo estava ferrando como meu pé, almoçamos e zarpamos de volta para o centro. 


Pose para esperar o tram


Prova de que meu pé estava me matando, é que lá para umas 14h00 tive que voltar para o hotel dar aquela dormida recuperadora enquanto a Mari ia para a Bourke Street (rua de boas lojas em Melbourne). Encontrei com ela 2 horas depois, tomamos um smoothie boost e rumamos para a chapel street.


Boost Smoothie!


Yarra River


Visitei a escola que havia estudado há 10 anos, tirei umas fotos, fiquei um pouco nostálgico, mas nada que umas duas ou três lágrimas de emoção não pudessem curar. Depois de chorar muito (sqn), passeamos na chapel street, jam factory e paramos em um barzinho. 


Foto Artistica no Tram
Yarra River e Melbourne CBD



Comprinhas


Cara, a chapel street é muuiito legal. Vários barzinhos, jovens endinheirados e glamour. Mentira. Mas só da parte dos jovens endinheirados. Ou talvez não tanto, pois quando sentamos em um barzinho de esquina para tomar uma Victoria Bitter (cerveja local), vimos alguns vários carros de luxo. Comemos o bolinho de arroz famoso por ser o mais caro do universo: fizemos as contas, e cada bolinho custou uns 7 reais (!!!). Mas o bar era muito gostoso, e a pizza que pedimos depois valeu a pena. 

Bar na Chapel Street


De volta ao hotel, tínhamos que dormir pois nosso voo sairia cedo no outro dia. 


Mais um dia sensacional na terra do canguru.

Beto e Mari.

0 Comments

  1. Amei as fotos!!! Lindos ..lindos …lindos …Que legal Beto , ter ido visitar sua antiga escola 🙂 Depois tem que mostrar seu novo corte de cabelo pro Dimmy rsrsr Hum que delícia bolinho de arroz ( eu amoo) ainda mais com uma cervejinha bem gelada 🙂 tudo de bom !! Vcs sabem divertir e aproveitar a vida!! Bjssss com muitas saudadesss!!!

Deixe uma resposta para Denise Tahan Cancelar resposta